Sociedade

O General Meira Mattos

O General Meira Mattos

 

Ives Gandra da Silva Martins*

 

 

Faleceu, em 26 de janeiro deste ano (2007), uma das mais notáveis figuras da história brasileira contemporânea: o General Carlos Meira Mattos. Seu enterro, com salva de fuzís –honraria só prestada às exequias de general de exército, e Meira era general de divisão-, demonstra o profundo respeito que as Forças Armadas lhe devotavam. E a presença de autoridades civis e da intelectualidade brasileira confirmaram o reconhecido prestígio de que gozava entre formadores de opinião e líderes do país.

 

Serviu, com muita eficiência e dedicação, ao Presidente Castelo Branco, que, levado à presidência da República por um movimento iniciado pelo povo, em 19 de março de 1964, contra o esfrangalhamento das instituições, promovido por João Goulart, pretendia, em curto espaço de tempo, reconduzir o País à plenitude democrática. Infelizmente, terminou não conseguindo seu objetivo, por variados fatores, que me levaram, como presidente do Partido Libertador na cidade de São Paulo, extinto pelo ato institucional n. 2/65, a comunicar ao senador Mem de Sá, à época no exercício da presidência nacional do partido, que, enquanto o país não voltasse a ser uma democracia, não faria mais política, passando a dedicar-me, exclusivamente, à advocacia e ao magistério. Nunca mais voltei à política partidária, até por que entendo que o Brasil, burocrático e fiscalista de hoje, está longe de ser o modelo de democracia plena, que sempre idealizei para o país.

 

Meira, entretanto, marcou sua passagem no governo, por admirável sentido de justiça e de moderação. O episódio, por exemplo, que comandou, para retirar, do Congresso Nacional, deputados liderados por este outro grande brasileiro, que foi Adauto Lúcio Cardoso – que não pretendia abandonar o prédio – foi paradigmático. Tendo recebido ordem do presidente Castelo Branco, de que, na retirada, não poderia haver uma gota de sangue derramada, Meira Mattos limitou-se a mandar cortar o fornecimento de energia e água para o edifício da Câmara, o que levou os parlamentares a se retirarem, pacificamente.

 

Comandou o exército da OEA na intervenção militar na República Dominicana e foi herói da 2a. guerra mundial. É considerado, entre os militares de todo o mundo, como um dos maiores estratégistas e geo-políticos do século XX, sendo a obra por ele escrita sobre esses temas, citada pelos estudiosos dessas ciências, nos países desenvolvidos, ao lado de obras de autores estrangeiros, inclusive, dedicadas à análise de sua produção.

 

Coordenou, durante muitos anos, o Curso de Pós-Graduação em Sociologia Política da Universidade Mackenzie, por onde se doutorara em sociologia -participei como suplente de sua banca examinadora- sobre ter sido uma das grandes expressões da Academia Brasileira de Ciências Morais e Políticas.

 

Perde o Brasil figura que, infelizmente, nos meios políticos brasileiros, não mais pode ser encontrada. Sua vida foi marcada por intenso patriotismo, por luta constante pelos valores cívicos e por densa participação, com didáticos e pertinentes artigos, na mídia nacional.

 

Como amigo e como brasileiro, sinto muito sua morte, pois era voz sinalizadora de caminhos retos para a nação. E o Brasil, mais do que nunca, está, nos dias atuais, necessitado voltar aos caminhos retos, em que os detentores do poder sejam autênticos servidores da pátria, e não, dela se servindo para satisfação de seus interesses ou ambições pessoais, nem sempre confessáveis.

 

* Professor Emérito das Universidade Mackenzie e UNIFMU e da Escola de Comando e Estado maior do Exército. Presidente do Conselho de Estudos Jurídicos da Federação do Comércio do Estado de São Paulo, da Academia Paulista de Letras e do Centro de Extensão Universitária – CEU. Site: http://www.gandramartins.adv.br

 

Compare preços de Dicionários Jurídicos, Manuais de Direito e Livros de Direito.

Como citar e referenciar este artigo:
MARTINS, Ives Gandra da Silva. O General Meira Mattos. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2007. Disponível em: https://investidura.com.br/artigos/sociedade/o-general-meira-mattos/ Acesso em: 18 abr. 2024
Sair da versão mobile