Política

Impasse na CONFECOM

 

São 14:00 horas e os trabalhos não evoluem porque deu-se um impasse em torno da votação do regulamento da Confecom. Os representantes do setor empresarial, basicamente o grupo da Telebrasil, desde ontem condicionou a sua participação a que as “propostas” sejam aprovadas no grupo por maioria qualificada (60%+1 voto). O impasse é sério e grupos dos movimentos sociais também ameaçam se retirar se a maioria simples não for aprovada.

 

Vários oradores falaram. Alguns dirigentes pediram para manter a regra da maioria qualificada, temendo a perda dos representantes do segmento empresarial. Os representantes dos movimentos sociais não abrem mão da maioria simples, segundo eles mais democrática. Entendem também que o plenário é soberano.

 

Pelas falas dos oradores pude constatar que o cabo de guerra entre os pólos dos movimentos sociais e do segmento empresarial. A ameaça de racha materializou-se ontem a noite, tendo sido essa uma das razões do atraso verificado na solenidade da abertura. O impasse se prolongou hoje de manhã, também provocando o atraso nos trabalhos.

 

Obviamente que os movimento sociais querem afogar os representantes empresariais, que agora batem o pé no critério qualificado. A questão está grave, o impasse continua. A Confecom corre o risco de se esvaziar ou os trabalhos não chegar a uma conclusão. Teremos que aguardar. O dia de hoje parece comprometido.

 

 

* José Nivaldo Cordeiro, Executivo, nascido no Ceará. Reside atualmente em São Paulo. Declaradamente liberal, é um respeitado crítico das idéias coletivistas. É um dos mais relevantes articulistas nacionais do momento, escrevendo artigos diários para diversos jornais e sites nacionais. É Diretor da ANL – Associação Nacional de Livrarias.

Como citar e referenciar este artigo:
CORDEIRO, José Nivaldo. Impasse na CONFECOM. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2009. Disponível em: https://investidura.com.br/artigos/politica/impasse-na-confecom/ Acesso em: 18 abr. 2024
Sair da versão mobile