Conhecimento

Realizações das Ciências – Parte II

Realizações das Ciências – Parte II

 

 

Ricardo Bergamini*

 

 

“A História da Humanidade é muito complexa para ser explicada apenas pelo debate restrito entre Comunismo e Capitalismo”. (Ricardo Bergamini).

 

 

Geologia

 

Destaca-se o inglês Charles Lyell, que investiga a formação dos estratos e a origem dos fósseis. Seus ensinamentos (Principles of Geology, 1830-1833) levaram ao desenvolvimento da Paleontologia.

 

 

Evolucionismo

 

1809: Jean Lamarck, francês, publica a primeira teoria sistemática sobre a evolução orgânica: herança dos caracteres adquiridos. (Hoje, esta hipótese somente parcialmente é aceita); 1859: Charles Darwin, inglês, publica a Origem das Espécies; teoria da evolução orgânica, explicada pela hipótese do “struggle for life” (a luta pela vida) e da seleção natural.

 

 

Ciências da Linguagem

 

A Lingüística estuda e compara os idiomas do Oriente, especialmente o sânscrito. A Filologia dedica-se aos idiomas romances (crítica erudita dos textos, estudos gramaticais).

 

Em relação com os progressos da Arqueologia, destacam importantes achados e geniais trabalhos de decifração: Grotefend (cuneiformes,1802); Champollion (pedra de Rosetta, hieróglifos egípcios, 1822); Rawlinson (rocha de Beistum, 1837; cuneiformes).

 

 

Ciências Sociais, Filosofia

 

Há progressos na História (espírito científico), na Geografia Humana e na Economia. Cria-se a Sociologia. Na Filosofia predominam as idéias conservadoras e reacionárias: a ordem acima da liberdade.

 

A nova corrente histórica recorre às fontes, diretamente. Cada fato pretende ser esmiuçado – objetiva, cientificamente – nas suas origens (causas) e no seu processo evolutivo. Destacam-se, entre os historiadores:

 

Na França: Thierry (1795-1856) e Michelet (1798-1874); na Inglaterra: Macaulay (1800-1859) e Carlyle (1795-1881), autor de Os heróis e o culto os heróis (1840).

 

A obra de Adam Smith – fundador da economia clássica – é continuada por eminentes economistas ingleses: Malthus, David Ricardo, James Mill, considerados “clássicos”, “individualistas” ou “liberais”.

 

Aparecem, também, novas teorias econômicas e novas doutrinas sociais, elaboradas por adversários da economia clássica (antiliberais): Liberalismo e Corporativismo (John Stuart Mill); Intervencionistas (Sismondi); Nacionalistas (List); Socialistas Utópicos (Fourier, Owen, Louis Blanc); Socialistas “científicos” (Marx e Engels).

 

Na filosofia predomina o idealismo romântico de Emanuel Kant (1724-1804) e dos seus discípulos – Fichte, Schelling, Hegel. A teoria romântica da verdade combina-se com a concepção idealista do universo. O racionalismo e o materialismo aliam-se à intuição e ao espiritualismo. Politicamente, são nacionalistas, pregam o direito do mais forte e a supremacia do Estado sobre o indivíduo. Fichte e Hegel são precursores ideológicos do totalitarismo. Pela sua teoria do choque entre sistemas opostos e a conseqüente evolução progressiva, Hegel (1770-1831) influirá mais tarde em Marx (teoria do materialismo histórico).

 

O francês Augusto Comte (1798-1857) cria o positivismo, uma corrente filosófica antimetafisica, liberal e prática, que adota um novo critério na classificação e definição das ciências – e tenta conciliar o pensamento filosófico com o progresso científico. A filosofia de Comte procura melhorar a humanidade e promover o progresso social.

 

 

* Economista, formado em 1974 pela Faculdade Candido Mendes no Rio de Janeiro, com cursos de extensão em Engenharia Econômica pela UFRJ, no período de 1974/1976, e MBA Executivo em Finanças pelo IBMEC/RJ, no período de1988/1989. Membro da área internacional do Lloyds Bank (Rio de Janeiro e Citibank (Nova York e Rio de Janeiro). Exerceu diversos cargos executivos, na área financeira em empresas como Cosigua – Nuclebrás – Multifrabril – IESA Desde de 1996 reside em Florianópolis onde atua como consultor de empresas e palestrante, assessorando empresas da região sul..  Site: http://paginas.terra.com.br/noticias/ricardobergamini

 

Compare preços de Dicionários Jurídicos, Manuais de Direito e Livros de Direito.

Como citar e referenciar este artigo:
BERGAMINI, Ricardo. Realizações das Ciências – Parte II. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2008. Disponível em: https://investidura.com.br/artigos/conhecimento-artigos/realizacoes-das-ciencias-parte-ii/ Acesso em: 28 fev. 2024
Sair da versão mobile