STF

Veja no Brasil.jus: ações da Justiça de 1ª Instância mudam a vida da comunidade no sul do país

Veja no Brasil.jus: ações da Justiça de 1ª Instância mudam a vida da comunidade no sul do país

Nesta semana, o "Brasil.jus" chega a Santa Catarina. A primeira parada é em Balneário Camboriú, localizada no litoral norte do Estado, ela é conhecida como a "Capital Catarinense do Turismo". Basta chegar o verão, que a população triplica. Os turistas aproveitam as belezas naturais de praias como a Estaleirinho e a de Laranjeiras. Há ainda opções como saltar de parapente no Morro do Careca e atravessar a cidade num bondinho que sobe mais de 400 metros de altura. Um parque ecológico no meio da Mata Atlântica também atrai muitos visitantes que podem até escorregar numa montanha russa ecológica, que passa entre as árvores.

Além das inúmeras possibilidades de diversão, Balneário Camboriú reservou à nossa equipe uma grata surpresa: o projeto "Agente da Paz", coordenado pela juíza da Infância e da Juventude, Sonia Moroso. Ela conseguiu conscientizar educadores da cidade a introduzir o tema paz no currículo escolar. Numa creche, por exemplo, as professoras criaram dois personagens: Zeca e Juca. Um deles é bem obediente e outro só arruma confusão. De forma lúdica, os pequenos conseguem aprender a ser um agente da paz. 

Já uma turma de pré-adolescentes realizou uma pesquisa sobre celebridades que disseminaram a paz pelo mundo. O trabalho rendeu cartazes pela escola com fotos de Betinho, Madre Tereza, Gandhi e Zilda Arns.

Mães dos alunos e professores são unânimes em afirmar que este tipo de consciência faz muita diferença no dia a dia de cada criança. Para a juíza Sonia Moroso, "na magistratura, principalmente na área da família e da infância, eu me deparo com momentos muitos tristes, momentos de falência familiar. Quando você contrapõe esses momentos de tristeza com os momentos de alegria, percebendo a evolução das crianças na construção do Projeto Agente da Paz, você percebe no seu dia a dia que a paz é possível".

De Balneário Camboriú paramos em Criciúma, a 200 quilômetros da capital Florianópolis, no extremo sul do Estado. Criciúma é considerada a Capital Brasileira do Carvão, por ter uma das maiores reservas do país. Das minas da região são retiradas até 100 mil toneladas do produto por mês. O carvão é combustível e serve como energia para companhias de eletricidade.

Fundada por imigrantes há 130 anos, a cidade tem cerca de 200 mil habitantes. Muitos gostam de frequentar a praça que ganhou o nome de "Academia de Rua": ao ar livre é possível pedalar e caminhar numa área bem arborizada.

Grande parte da população mora em prédios residenciais. No total, Criciúma tem 750 condomínios com um problema em comum: a inadimplência de muitos condôminos. Preocupada com a incidência de processos envolvendo a falta de pagamento de taxas, a juíza Janice Ubialli, do Juizado Especial Cível, resolveu agir. Colocou a Justiça à serviço de síndicos e moradores. Há oito meses, ela criou o Juizado Informal de Condomínios, o Juicond. Audiências informais são feitas durante à noite no próprio condomínio onde há problemas. Síndicos e inadimplentes conversam amigavelmente e entram em acordo. Assim, menos processos vão parar na Justiça e os pagamentos do condomínio são colocados em dia. 89 acordos já foram fechados e quase 85 mil reais foram recuperados. Gilson Gonçalves, síndico do maior condomínio da cidade, está satisfeito com o juizado: "Das 50 pessoas notificadas, cerca de 45 compareceram aqui e estão pagando tudo em dia".

Não perca! "Brasil.jus": A Justiça sob diferentes olhares.

Toda segunda-feira, às 20h30 (Horários alternativos: terça – 18h; quinta – 13h30; sexta – 22h30).

 

Fonte: TV Justiça

Fonte: STF

Como citar e referenciar este artigo:
NOTÍCIAS,. Veja no Brasil.jus: ações da Justiça de 1ª Instância mudam a vida da comunidade no sul do país. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2010. Disponível em: https://investidura.com.br/noticias/stf-noticias/veja-no-brasil-jus-acoes-da-justica-de-1-instancia-mudam-a-vida-da-comunidade-no-sul-do-pais/ Acesso em: 20 jun. 2024