TRF4

TRF4, 00012 AÇÃO RESCISÓRIA Nº 2003.04.01.033502-0/RS, Relator Des. Federal João Batista Pinto Silveira , Julgado em 03/24/2008

—————————————————————-

00012 AÇÃO RESCISÓRIA Nº 2003.04.01.033502-0/RS

RELATOR : Des. Federal JOÃO BATISTA PINTO SILVEIRA

AUTOR : BRUNO FOCHESATTO

ADVOGADO : Olivio Signorini e outros

REU : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS

ADVOGADO : Milton Drumond Carvalho

EMENTA

PREVIDENCIÁRIO. PROCESSO CIVIL. AÇÃO RESCISÓRIA. VIOLAÇÃO DE LITERAL DISPOSIÇÃO DE LEI.

1. Não restou demonstrada qualquer ilegalidade na decisão rescindenda. O requerimento do autor ocorreu em 17-01-84 (DER), mas

a data de início do benefício é de 01-05-1984 (DIB), quando houve a afastamento do trabalho (DAT), em atendimento ao Decreto

77.077/79, vigente à época do requerimento, e cujo teor foi mantido pelo Decreto 89.312/84. 2. Não se pode considerar a data do

requerimento como início do benefício, pois a lei previa que este fosse o marco inicial apenas quando o requerimento tivesse

ocorrido após 180 dias do desligamento, tendo agido corretamente a Autarquia ao fir a DIB em 01-05-84, posto que até então o

segurado permanecia vinculado à empresa na qual trabalhava, e, por óbvio, recebia salário como trabalhador da ativa, não fazendo

sentido a exigência do recebimento do benefício neste período 3. A única época em que o reajustamento de benefícios esteve

atrelada ao salário mínimo foi entre abril/89 e dezembro/91. 4. A Constituição Federal consagra o princípio do reajuste dos

proventos, visando a preservar-lhes o valor real em caráter permanente. Contudo, é certo que os dispositivos acima reproduzidos

deiram ao encargo do legislador ordinário fir os índices de reajuste propriamente ditos, assim como a periodicidade de

incidência dos mesmos, em atenção ao caráter permanente.5. Por fim, vale mencionar que, por falta de previsão legal, é incabível a

equivalência entre o salário-de-contribuição e o salário-de-benefício para o cálculo da renda mensal dos benefícios previdenciários.

ACÓRDÃO

___________________

Vistos e relatados estes autos em que são partes as acima indicadas, decide a Egrégia 3ª Seção do Tribunal Regional Federal da 4ª
Região, por unanimidade, julgar improcedente a ação, nos termos do relatório, votos e notas taquigráficas que ficam fazendo parte
integrante do presente julgado.
Porto Alegre, 06 de março de 2008.

Como citar e referenciar este artigo:
JURISPRUDÊNCIAS,. TRF4, 00012 AÇÃO RESCISÓRIA Nº 2003.04.01.033502-0/RS, Relator Des. Federal João Batista Pinto Silveira , Julgado em 03/24/2008. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2010. Disponível em: https://investidura.com.br/jurisprudencias/trf4/trf4-00012-acao-rescisoria-no-2003-04-01-033502-0-rs-relator-des-federal-joao-batista-pinto-silveira-julgado-em-03-24-2008/ Acesso em: 22 jun. 2024