Senado

Rollemberg manifesta indignação com ataque a mendigos e deplora cultura da violência

[senador Rodrigo Rollemberg ]
Página Multimídia

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) manifestou indignação, nesta quarta-feira (29), com o ataque a dois mendigos neste final de semana na cidade de Santa Maria, no Entorno do Distrito Federal. Segundo a polícia, eles foram incendiados por um grupo de adolescentes enquanto dormiam. Um dos mendigos faleceu, enquanto o outro foi internado em estado grave.

O parlamentar disse esperar que a polícia dê punição exemplar aos responsáveis pelo crime. Rollemberg citou o educador Paulo Freire (1921-1997), que, ao analisar o assassinato do índio Galdino, também em Brasília, atribuiu o crime ao esgarçamento do corpo social e à banalização da violência – que valoriza mais o ter do que o ser – e leva os adolescentes a perderem o senso do certo e errado e “brinquem de matar gente”.

– Não deve ser tratada como fato isolado a violência que jovens brasileiros têm praticado contra homossexuais, travestis, prostitutas, negros e mendigos – lamentou o parlamentar.

Rollemberg citou outros casos semelhantes em que um mendigo foi incendiado em Recife enquanto dormia no ano passado e dois moradores de rua em Jundiaí (SP) foram queimados e também uma criança indígena assassinada em Arame (MA). Citou estatísticas sobre a violência contra homossexuais e negros.

– No caso dos homossexuais, o Brasil está entre os países com um dos maiores registros de óbitos por homofobia, com um assassinato a cada três dias, segundo dados do Grupo Gay da Bahia. Para a população negra, a situação também é vergonhosa – afirmou, citando dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), segundo os quais, nos últimos oito anos, a morte de negros por homicídio subiu 23,4%.

O senador também lamentou que, apesar dos avanços obtidos pela Lei Maria da Penha (Lei 11.240/2006), de proteção à mulher contra a violência doméstica, 10 mulheres são assassinadas a cada dia.

– São 37 assassinatos por dia no Brasil, que crescem na mesma proporção do sentimento de indiferença e negligência, fatos muito mais complexos do que parecem, refletindo a doença, não só dos criminosos mas da sociedade- apontou.

Rollemberg citou novamente Paulo Freire para propor uma reflexão sobre o “pensar cultural” que vem gerando uma cultura da violência pela banalização da vida, na qual a “expressão brutal da violência começa pela intolerância, que é parte do problema maior”.

– Não é só problema do Estado e dos serviços de segurança, mas da excessiva espetacularização dos crimes. Não está só nas mãos de quem pratica, mas no pensar transmitido por gerações. A violência passa a ser mais normal do que transgressora, nessa complexa trama social que a sustenta – observou.

Ele disse que o desafio é o de tornar o Brasil mais humano e democrático, de modo que passemos a enxergar o outro pelo que ele é e não pelo que ele tem, construindo um corpo social orgânico e uma nova sociedade que seja sustentada por uma cultura de paz.

Fonte: Senado

Como citar e referenciar este artigo:
NOTÍCIAS,. Rollemberg manifesta indignação com ataque a mendigos e deplora cultura da violência. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2012. Disponível em: https://investidura.com.br/noticias/senado/rollemberg-manifesta-indignacao-com-ataque-a-mendigos-e-deplora-cultura-da-violencia/ Acesso em: 20 mai. 2024