MPF

Comércio indígena continua em discussão em Canoas (RS)

Índios poderão continuar vendendo seus produtos no centro de Canoas, região metropolitana de Porto Alegre, de forma provisória. A proposta foi feita durante audiência pública realizada a pedido do procurador da República em Canoas Pedro Antônio Roso com o objetivo de buscar o estabelecimento de local apropriado para a comercialização de artefatos produzidos por tribos indígenas.

A reivindicação da comunidade indígena é alvo de procedimento administrativo em trâmite no Ministério Público Federal.

Também foi proposto pela prefeitura de Canoas que os produtos passem a ser oferecidos no brique do Parque Municipal Getúlio Vargas, conhecido como Capão do Corvo. Ficou marcada reunião no local, com a Secretaria de Meio Ambiente, quando os índios poderão conhecer a estrutura do brique e do parque.

Igualmente ficou decidido que o diálogo entre prefeitura e índios irá continuar para que uma solução ao impasse seja encontrada em comum acordo, sempre levando em conta a situação de exceção da comunidade indígena.

Compareceram à audiência a Secretaria de Desenvolvimento Social, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Secretaria do Meio Ambiente, Procuradoria do Município, todos de Canoas, e índios de três tribos caigangues, de São Leopoldo e Porto Alegre, bem como representante da Fundação Nacional do Índio, a perita antropóloga do MPF Miriam Chagas e o presidente da Câmara de Vereadores de Canoas, Nelsinho Metalúrgico.

Assessoria de Comunicação Social
Procuradoria da República no Rio Grande do Sul
ascom@prrs.mpf.gov.br
(51)3284.7369 / 3284.7370
Twitter – http://twitter.com/mpf_rs

 

Fonte: MPF

Como citar e referenciar este artigo:
NOTÍCIAS,. Comércio indígena continua em discussão em Canoas (RS). Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2009. Disponível em: https://investidura.com.br/noticias/mpf/comercio-indigena-continua-em-discussao-em-canoas-rs/ Acesso em: 26 mai. 2024