Sociedade

Muitos Uns

 

 

Quem consegue entender o meio ambiente transforma-se em bem aventurado e desfrutrá de tudo que é saudável, agradável e bom!

 

A maioria não pensa, não sabe, mas o meio ambiente está incrustado na nossa vida, dependemos dele para tudo, para respirarmos, para nos alimentarmos, para termos paz, para nos sentirmos bem.

 

Desde que uma parcela de gente se apercebeu da sua fundamental importância, inegáveis providências vêm sendo tomadas, mas a degeneração já era tamanha que todos os esforços que hoje se fazem, ainda representam muito pouco. Não é fácil “correr atrás do prejuízo”.

 

Nos últimos trinta anos, as Nações Unidas reuniram-se para debater questões globais com vistas à busca de soluções para os problemas de ordem ambiental que afligem o Planeta: em 1972, em Estocolmo, sob o tema “O Meio Ambiente Humano”, e em 1992, no Rio de Janeiro, quando refletiu sobre “Meio Ambiente e Desenvolvimento”. Especificamente, para debater a poluição atmosférica, em Kioto (Japão-1997) e no ano passado, em Haia

 

A Conferência de 92, principalmente, foi um verdadeiro sucesso. Nela se fizeram presentes representantes de 113 países, 250 organizações-não-governamentais, além dos organismos da ONU. Ao seu término, estava pronta a Declaração sobre o Meio Ambiente Humano, constituída de princípios de comportamento e responsabilidade que devem governar as decisões concernentes a questões ambientais.

 

Outro documento a que se chamou Agenda 21, adveio do Plano de Ação que convoca todos os países, os organismos das Nações Unidas, todas as organizações internacionais, a cooperarem na busca de soluções para uma gama de problemas ambientais.

 

Há quem resiste à consciência do dever de preservar o meio ambiente e acha que desenvolvimento não se faz sem derrubar mata, sem drenar pântanos e aterrar manguezais. Há quem não consegue entender que o curso de água que passa ou a nascente que brota no âmbito de suas terras é de todos. O curso de água, seja rio, córrego ou ribeirão, está de passagem, deve ir adiante, a nascente também quer prosseguir, alcançar outras paragens. Porque “a água é um bem de todos e dotado de valor econômico” conforme a lei 9.433/87 que estabelece a Política Nacional de Recursos Hídricos.

 

É alentador conhecer o Programa de Ação Integrada de Fiscalização 2001/2002 para a Mata Atlântica do Espírito Santo, uma iniciativa governamental que reúne a Secretaria de Estado para assuntos do Meio Ambiente, a Polícia Ambiental, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis, bem como, saber que organismos como a Federação das Indústrias do Espírito Santo e a Câmara de Comércio Americana de Vitória se uniram e está criada a Associação de Usuários de Recursos Hídricos do Estado do Espírito Santo – AURHES.

 

Como Sodoma não foi destruída porque havia ali ao menos um justo, o meio ambiente será salvo, porque muitos uns de nós estamos empenhados no sentido de defendê-lo e prestar nossa contribuição que aliada a sua capacidade de ressurgir, fará com que de novo o verde volte a cobrir nossas terras, surjam muitas fontes de água cristalina, haja muito pássaro cantando e voando pelo céu, muito bicho povoando a mata e terá surgido uma nova terra.

 

Com esta esperança, desejo Bom Dia Internacional do Meio Ambiente, amanhã, 5 de junho, para todos vocês.

.

 

 

* Marlusse Pestana Daher, Promotora de Justiça, Ex-Dirigente do Centro de Apoio do Meio Ambiente do Ministério Público do ES; membro da Academia Feminina Espírito-santense de Letras, Conselheira da Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Vitória – ES, Produtora e apresentadora do Programa “Cinco Minutos com Maria” na Rádio América de Vitória – ES; escritora e poetisa, Especialista em Direito Penal e Processual Penal, em Direito Civil e Processual Civil, Mestra em Direitos e Garantias Fundamentais.

Como citar e referenciar este artigo:
DAHER, Marlusse Pestana. Muitos Uns. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2009. Disponível em: https://investidura.com.br/artigos/sociedade/muitos-uns/ Acesso em: 27 mai. 2024