TRF4, 00009 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 2007.04.00.030909-1/RS, Relator Desembargador Federal Álvaro Eduardo Junqueira , Julgado

TRF4, 00009 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 2007.04.00.030909-1/RS, Relator Desembargador Federal Álvaro Eduardo Junqueira , Julgado em 01/29/2008


----------------------------------------------------------------

00009 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 2007.04.00.030909-1/RS
RELATOR : Desembargador Federal ÁLVARO EDUARDO JUNQUEIRA
AGRAVANTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS
ADVOGADO : Milton Drumond Carvalho
AGRAVADO : SOCIEDADE ESPORTIVA RECREATIVA E CULTURAL BRASIL e outros
ADVOGADO : Jose Antonio Casagrande
EMENTA
AGRAVO DE INSTRUMENTO. EXECUÇÃO FISCAL. REDIRECIONAMENTO. SÓCIOS. INADIMPLEMENTO.
DISSOLUÇÃO IRREGULAR DA EMPRESA. ART. 135, INC. III, DO CTN. LC Nº 123/2006.
1. Não é possível o redirecionamento do feito ao responsável pela empresa devedora de tributo, a menos que o inadimplemento
resulte de atos praticados com esso de poderes ou infração à lei, aos estatutos ou ao contrato social, evidenciados a contento por
prova robusta.
2. Já a dissolução irregular da empresa - quando devidamente comprovada - tem o condão de ensejar o redirecionamento do feito
contra os sócios.
3. Apenas o inadimplemento e a insuficiência de bens da eutada não autorizam o redirecionamento da eução fiscal, sobretudo
se não demonstrada a ocorrência de irregularidades bastantes para desconsiderar a personalidade da pessoa jurídica.
4. A Lei Complementar nº 123/06 demonstra a adaptação legislativa à nova realidade sócio-econômica da maioria das empresas, que
se dissolvem de fato sem o devido registro nos órgãos competentes, por absoluta falta de recursos financeiros, tendo em vista a atual
conjuntura econômica do país, em especial a enorme carga tributária. Nesse contexto, a dissolução de fato já não pode ser
considerada irregular, mostrando-se imprescindível, para a configuração da sua ilicitude, prévio procedimento administrativo ou
judicial para apuração da conduta irregular do sócio, com a necessária análise do elemento subjetivo, seguindo-se, assim, a egese
do artigo 135, caput, do CTN.
5. A presença do nome do sócio na CDA sinaliza tão-somente contra quem a eução poderá vir a ser dirigida no caso de
impossibilidade da eutada principal não efetuar o pagamento. Não autoriza o redirecionamento automático da ação eutiva.
6. Agravo de instrumento desprovido.
ACÓRDÃO

___________________


Vistos e relatados estes autos em que são partes as acima indicadas, decide a Egrégia 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, por maioria, vencido o Des. Federal Joel Ilan Paciornik, negar provimento ao agravo de instrumento, nos termos do relatório, votos e notas taquigráficas que ficam fazendo parte integrante do presente julgado. Porto Alegre, 17 de dezembro de 2007.


Como referenciar este conteúdo

JURISPRUDêNCIAS,. TRF4, 00009 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 2007.04.00.030909-1/RS, Relator Desembargador Federal Álvaro Eduardo Junqueira , Julgado em 01/29/2008. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 06 Mar. 2010. Disponível em: www.investidura.com.br/biblioteca-juridica/jurisprudencia/266-trf4/149250-trf4--00009-agravo-de-instrumento-nº-2007-04-00-030909-1-rs--relator-desembargador-federal-alvaro-eduardo-junqueira---julgado-em-01-29-2008. Acesso em: 19 Out. 2020

 

Receba nossos e-mails e infoprodutos jurídicos

 

 

ENVIE SEU ARTIGO