Índice de Preços ao Produtor – Fonte IBGE - Base: Fevereiro de 2012 | Portal Jurídico Investidura - Direito

Índice de Preços ao Produtor – Fonte IBGE - Base: Fevereiro de 2012

Índice de Preços ao Produtor (IPP) varia -0,38% em fevereiro

Em fevereiro de 2012, o Índice de Preços ao Produtor (IPP) variou -0,38% na comparação janeiro, em que o índice registrou – 0,43%. Ao se comparar o mês atual contra o mesmo mês do ano anterior (acumulado em 12 meses), os preços variaram 0,76% em fevereiro contra 1,75% em janeiro. Já a variação acumulada em 2011 foi de -0,81%, em fevereiro, e -0,43% no mês anterior.

O IPP mede a evolução dos preços de produtos “na porta de fábrica”, sem impostos e fretes, de 23 setores da indústria de transformação.

9 das 23 atividades pesquisadas apresentaram alta de preços

Em fevereiro de 2012, nove das 23 atividades pesquisadas apresentaram alta de preços, contra 9 do mês anterior. Os maiores crescimentos registrados em fevereiro, em relação a janeiro, foram entre os produtos das atividades industriais de confecção de artigos do vestuário e acessórios (2,17%) e impressão (1,99%); enquanto as maiores quedas foram em fumo (-2,90%) e outros equipamentos de transporte (-1,90%).

Os itens com maior influência, ou impacto, para baixo ou para cima, na variação de fevereiro contra janeiro (-0,38%) foram alimentos (- 0,24 p.p.), outros produtos químicos (- 0,11 p.p.), outros equipamentos de transporte (- 0,04 p.p.) e perfumaria, sabões e produtos de limpeza (0,03 p.p.).

O indicador acumulado de 2012 atingiu - 0,81 % em fevereiro, contra – 0,43% em janeiro. Entre as atividades que, em fevereiro/12, tiveram as maiores variações percentuais nessa comparação, destacaram-se fumo (- 4,77%), outros equipamentos de transporte (- 3,46%), outros produtos químicos (- 3,07%) e fabricação de máquinas e equipamentos (2,04%).

Ainda no acumulado do ano, os setores de maior influência foram: outros produtos químicos (- 0,33 p.p.), alimentos (- 0,25 p.p.), metalurgia (- 0,16 p.p.) e fabricação de máquinas e equipamentos (0,09 p.p.).

Na comparação com o mesmo mês de 2011 (acumulado em 12 meses), os preços aumentaram 0,76% em fevereiro, contra 1,75% em janeiro. As quatro maiores variações de preços ocorreram em calçados e artigos de couro (16,35%), bebidas (8,01%), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (- 7,37%) e papel e celulose (- 6,00%).

As principais influências, na comparação de fevereiro contra o mesmo mês do ano anterior vieram de veículos automotores (0,27 p.p.), alimentos (0,26 p.p.), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (- 0,26 p.p.) e calçados e artigos de couro (0,25 p.p.).

Alimentos: em fevereiro, em média, os preços do setor de alimentos, quando comparados aos de janeiro, tiveram variação de - 1,25%, a quarta taxa negativa consecutiva e a maior delas. Com a variação de fevereiro, os preços de alimentos acumulam, em 2012, uma variação negativa de 1,34%. Na comparação dos últimos doze meses, a variação média dos preços do setor recuou de 2,18% para 1,41%, com isso é o sexto mês em que as taxas vêm decrescendo, depois de ter atingido, em agosto de 2011, 15,97%.

Bebidas: no mês de fevereiro, a variação média dos preços do setor de fabricação de bebidas foi – 0,23% em relação ao mês anterior. Este resultado é o primeiro negativo desde julho/2011. O resultado acumulado no ano para a atividade foi -0,03%, enquanto que nos últimos 12 meses registrou crescimento 8,01% nos preços.

Fumo: os preços da atividade apresentaram queda de 2,90%, na passagem de janeiro para fevereiro. O resultado deste indicador deveu-se principalmente à depreciação do dólar em relação ao real ocorrido no mês. Na perspectiva do acumulado no ano, os preços da atividade declinaram 4,77%. Verifica-se que o dólar na comparação fevereiro 2012/dezembro 2011, teve desvalorização da ordem de 6%. No acumulado dos últimos doze meses, o resultado mostrou aumento de 1,66%.

Vestuário e acessórios: o setor de confecções apresentou variação positiva de preços de 2,17%, em comparação com o mês anterior. Este resultado, oposto ao apresentado em janeiro (– 1,58%), deveu-se principalmente ao lançamento de novas coleções e ao fim do período de liquidações. No acumulado no ano, o resultado mostrou variação positiva de 0,56%, ou seja, invertendo o resultado do mês anterior (- 1,58%). No acumulado dos últimos doze meses, o resultado foi 3,32%, valor muito próximo ao apresentado no mês anterior, de 3,23%.

Calçados e produtos de couro: em fevereiro de 2012, os preços de calçados e produtos de couro tiveram uma variação positiva de 0,29%, em relação ao mês anterior. Com isso, o setor acumulou variação de 0,44% no ano. Quando se comparam os preços de fevereiro de 2012 com os de fevereiro de 2011, o aumento médio foi de 16,35%.

Papel e celulose: registrou variação positiva de preços de 0,86% na passagem de janeiro para fevereiro, revertendo a variação negativa ocorrida no mês de janeiro (- 1,57%). No acumulado do ano, registrou-se variação de - 0,72%. Com relação ao indicador dos últimos doze meses, a atividade acumulou variação negativa de 6,00%.

Impressão: em fevereiro de 2012, os preços da atividade apresentaram variação positiva de 1,99%, na passagem de janeiro para fevereiro. No mês anterior, havia sido negativa de 0,99%. No acumulado do ano, a variação foi positiva de 0,97%. Nos últimos 12 meses, o setor apresentou variação positiva de 1,68%.

Refino de petróleo e produtos de álcool: a atividade registrou variação de - 0,20%, em fevereiro com relação a janeiro, seguindo trajetória negativa registrada nos dois meses anteriores (o último mês que indicou variação positiva foi novembro de 2011, com relação a outubro do mesmo ano). No ano, o setor acumulou queda de 0,79%. Por outro lado, ao se comparar o resultado do indicador mês/mesmo mês do ano anterior, fevereiro ainda registrou resultado positivo, de 2,21%, o menor nível da série desde o início de sua divulgação em dezembro de 2010.

Perfumaria, sabões e produtos de limpeza: a atividade registrou variação positiva de preços de 1,84%, em fevereiro com relação a janeiro de 2012, após resultado negativo de - 0,57% em janeiro contra dezembro de 2011. No ano, o setor acumulou alta de 1,26%, enquanto no indicador mês/mesmo mês do ano anterior, o resultado foi de 5,43%.

Outros produtos químicos: a indústria química registrou, em fevereiro, variação negativa de 1,04% com relação a janeiro de 2012. Foi a quarta queda consecutiva do indicador do setor (a última variação positiva foi em outubro de 2011). No ano, o setor registrou variação negativa de 3,07% e no comparativo fevereiro 2012/fevereiro 2011, o setor apresentou resultado de - 1,56%, o que, para este indicador, foi o primeiro resultado negativo desde o início da série, em dezembro de 2010.

Metalurgia: em fevereiro de 2012, ao observar – 0,14%, a atividade apresentou, pelo quarto mês consecutivo, variação negativa em sua comparação com o mês anterior, sendo, no entanto, a menor variação negativa dentre elas. Em janeiro de 2012, a variação observada havia sido de – 1,80%. Na perspectiva dos últimos 12 meses, observou-se uma variação negativa de 2,47%.

Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos: em fevereiro, o setor apresentou, em média, preços 0,57% maiores do que os de janeiro. Com isso, os preços acumularam, em 2012, 1,42% de variação positiva, situação bem distinta da observada em 2011 quando a série foi permanentemente negativa ao longo do ano. Todavia, no acumulado dos últimos 12 meses, a série manteve taxas negativas, como tem sido desde o início desta série (dezembro de 2010). Vale dizer, a taxa de fevereiro foi a menor desde dezembro de 2011 (- 11,82%), que, por sua vez, havia interrompido uma série de taxas negativas permanentemente menores iniciadas em junho de 2011 (- 16,04%).

Máquinas e equipamentos: registrou variação de preços de - 0,20% na passagem de janeiro para fevereiro. Com esse resultado, o setor acumulou no ano variação de 2,04%. Com relação ao indicador dos últimos 12 meses, os preços de fevereiro deste ano estiveram 2,92% maiores do que aqueles que prevaleciam no mesmo mês do ano anterior.

Veículos automotores: em fevereiro de 2012, os preços da atividade apresentaram variação negativa de 0,08% na comparação com o mês anterior, contra 0,00% observada em janeiro. Desta forma, o acumulado do ano fechou negativo em 0,09%. Na comparação dos últimos 12 meses, o setor apresentou variação positiva de 2,25%, próxima a do mês anterior (2,26%), mantendo-se positiva como tendo sido desde setembro de 2011.

Outros equipamentos de transporte: em fevereiro de 2012, os preços da atividade apresentaram variação negativa de 1,90%, quando comparados a janeiro. Desta forma, o acumulado no ano mostrou variação negativa de 3,46%. Nos últimos doze meses, o setor apresentou variação positiva de 3,62%, inferior as variações registradas nos quatro meses anteriores.

Arquivos oficiais do governo estão disponíveis aos leitores.

* Ricardo Bergamini, Economista, formado em 1974 pela Faculdade Candido Mendes no Rio de Janeiro, com cursos de extensão em Engenharia Econômica pela UFRJ, no período de 1974/1976, e MBA Executivo em Finanças pelo IBMEC/RJ, no período de1988/1989. Membro da área internacional do Lloyds Bank (Rio de Janeiro e Citibank (Nova York e Rio de Janeiro). Exerceu diversos cargos executivos, na área financeira em empresas como Cosigua - Nuclebrás - Multifrabril - IESA Desde de 1996 reside em Florianópolis onde atua como consultor de empresas e palestrante, assessorando empresas da região sul..  Site: http://paginas.terra.com.br/noticias/ricardobergamini


Como referenciar este conteúdo

BERGAMINI, Ricardo. Índice de Preços ao Produtor – Fonte IBGE - Base: Fevereiro de 2012. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 07 Abr. 2012. Disponível em: investidura.com.br/biblioteca-juridica/artigos/economia/237220-indice-de-precos-ao-produtor--fonte-ibge-base-fevereiro-de-2012. Acesso em: 23 Nov. 2017
familia

112 modelos ncc-peq

direito-do-trabalho-modelos-inv