Colunas Gestão, Tecnologia e Qualidade para o Direito

Como a inteligência artificial vê o marketing jurídico?

Olá, Gustavo Rocha aqui. Fiz um mini ebook com auxílio da IA para mostrar que até a máquina sabe o que pode ou não pode (pelo menos o básico) e muitos advogados ainda insistem em apenas tentar se vender, sem perceber que o que realmente importa é o conteúdo.

Sim, temos que além de ser, aparentar ser. Entretanto, o aparentar ser deve ser algo dentro dos limites da publicidade e não com uso de propaganda vedada pelo código de ética.

Vejam o material produzido e tirem suas conclusões:

eBook Expandido: Fundamentos do Marketing Jurídico na Era Digital

Sumário

1.       Introdução

2.       A Importância do Conteúdo em Marketing Jurídico

3.       Mídias Digitais e Advocacia

4.       Navegando o Código de Ética da Advocacia

5.       Estratégias de Captação de Clientes: Pessoas Físicas e Jurídicas

6.       Conclusão


1. Introdução

O Que é Marketing Jurídico?

O marketing jurídico é o conjunto de estratégias e táticas que advogados e escritórios de advocacia usam para se conectar com potenciais clientes. Diferente do marketing tradicional, o foco aqui é criar uma imagem profissional e ética, enquanto se comunica eficazmente com um público-alvo específico.

O marketing jurídico deixou de ser um bônus e tornou-se uma necessidade nos tempos modernos. Esse eBook vai te guiar pelos fundamentos do marketing jurídico, focando na importância do conteúdo e das mídias digitais. Vamos lá!


2. A Importância do Conteúdo em Marketing Jurídico

Por Que Conteúdo?

O conteúdo é o coração do marketing jurídico. Artigos bem escritos, posts informativos e até vídeos podem ser ferramentas poderosas. Eles não só estabelecem sua autoridade no campo, mas também educam seus potenciais clientes.

O conteúdo não é apenas texto em uma página. Ele é a espinha dorsal de qualquer campanha de marketing jurídico. Ao educar seu público, você se estabelece como uma autoridade no campo, o que aumenta a confiança e, por extensão, as chances de contratação.

Exemplos Práticos:

·         Blog Posts: Se você é especialista em direito imobiliário, escreva artigos detalhados sobre como evitar fraudes em contratos de aluguel.

·         Vídeos no YouTube: Faça vídeos explicativos sobre temas como “Como funciona o divórcio no Brasil”.

·         Eduque, Não Venda: O foco deve ser educar o público sobre questões legais, e não em vendas agressivas.

·         SEO é seu Amigo: Use palavras-chave relevantes para melhorar o ranking nos mecanismos de busca.


3. Mídias Digitais e Advocacia

As Redes Sociais São Seus Amigos, Mas Também Podem Ser Inimigos

Redes sociais são como uma faca de dois gumes. Elas podem ampliar seu alcance, mas um erro pode ser caro.

O uso de redes sociais como LinkedIn, Facebook e Instagram pode ampliar enormemente sua presença online. No entanto, é crucial usá-los de forma ética e eficaz.

Exemplos Práticos:

Interaja, Mas com Cuidado: Comentários e likes são ótimos, mas evite oferecer consultoria legal em espaços públicos.

Facebook

Como Utilizar: O Facebook é excelente para a criação de grupos de discussão e comunidades. Você pode criar um grupo sobre “Direitos do Consumidor” ou “Legislação Trabalhista”, onde você posta conteúdos informativos e responde a perguntas gerais.

O Que Evitar: Evite fazer promessas diretas ou indiretas sobre resultados de casos. Isso pode ser visto como uma violação das diretrizes éticas.

Exemplo Prático: Imagine que você é um advogado especializado em direito de família. Você pode criar um post explicando os diferentes tipos de guarda em casos de divórcio. Este post pode conter informações úteis, mas não deve dizer algo como “Contrate-nos e garantimos a guarda dos seus filhos”.

Instagram

Como Utilizar: O Instagram é uma plataforma visual, ideal para infográficos e vídeos curtos. Você pode usar os Stories para fazer séries de perguntas e respostas ou para compartilhar depoimentos de clientes (com o consentimento deles, claro).

O Que Evitar: Assim como no Facebook, evite fazer qualquer tipo de promessa de resultado. Também evite postar conteúdos que possam ser considerados sensacionalistas ou que explorem a emoção em detrimento de informações factuais.

Exemplo Prático: Se você é especialista em direito empresarial, você pode postar um infográfico sobre os “5 Principais Desafios Legais que Startups Enfrentam”. O foco aqui é educacional, fornecendo valor sem cruzar limites éticos.

LinkedIn

Como Utilizar: O LinkedIn é a rede social para profissionais por excelência. É o lugar ideal para publicar artigos mais densos, estudos de caso e para fazer networking com outros profissionais do setor. Também é um excelente local para mostrar seus conhecimentos através da publicação de posts sobre mudanças na legislação, decisões judiciais importantes e outros temas jurídicos relevantes.

O Que Evitar: Como em outras redes sociais, é crucial evitar qualquer forma de promessa de resultado ou serviço que possa ser interpretado como antiético. Além disso, evite conteúdo que seja puramente promocional; o LinkedIn valoriza conteúdo educacional e informativo.

Exemplo Prático: Suponhamos que você seja especialista em Direito Ambiental. Você poderia escrever um artigo sobre “As Implicações Jurídicas das Mudanças Climáticas”. Esse tipo de conteúdo não só estabelece você como um especialista no campo, mas também oferece valor aos seus contatos, sem infringir quaisquer diretrizes éticas.


4. Navegando o Código de Ética da Advocacia

A Ética Primeiro

Cada rede social é uma ferramenta poderosa, mas advogados têm uma série de diretrizes éticas que devem ser seguidas.

O marketing na advocacia é um campo minado ético. Consulte sempre o código de ética da sua jurisdição para garantir que você esteja em conformidade.

Exemplos Práticos:

·         Publicidade Enganosa: Se você disser no Facebook “Garantimos a vitória ou seu dinheiro de volta!”, isso seria considerado antiético e até mesmo ilegal.

·         LinkedIn: Você pode publicar artigos informativos, mas evite fazer promessas como “Podemos ganhar seu caso!”.


5. Estratégias de Captação de Clientes: Pessoas Físicas e Jurídicas

Conheça Seu Público-Alvo

A abordagem para captar clientes varia drasticamente se você está mirando em pessoas físicas ou jurídicas.

Exemplos Práticos:

Pessoas Físicas:

·         Seminários Online: Faça webinars gratuitos sobre como preparar um testamento ou como proceder em um acidente de trânsito.

Pessoas Jurídicas:

·         Newsletters Corporativas: Envie newsletters mensais com um resumo das mudanças legislativas que podem afetar empresas em seu setor.


6. Conclusão

Palavras Finais

Navegar pelo mundo do marketing jurídico é como andar em uma corda bamba. Por um lado, você tem as imensas oportunidades que a era digital oferece. Por outro, há o peso das responsabilidades éticas. No entanto, com informação e cautela, você pode encontrar um equilíbrio eficaz e ético para a sua prática.

Espero que este eBook expandido tenha sido de ajuda. Boa jornada no mundo do marketing jurídico!

Interessante não?

Lógico que não foi apenas um comando e este ebook foi criado. Precisei pedir alguns pontos mais específicos, colocar alguns ajustes de palavras e deixei algum conteúdo de forma mais “tosca” para demonstrar as dificuldades da IA ainda no tema, entretanto, pode ser um bom auxiliar no dia a dia do marketing juridico!

#ForteAbraço

Sou o Gustavo Rocha! 

 Especialista em Inteligência Artificial aplicada ao mundo jurídico!

 Dou aulas em Pós-Graduação, lidero grupos de estudos e sou um rosto conhecido nas Comissões da OAB do RS e SP.

 Consultor em gestão, tecnologia e marketing jurídico. Ah, e sou um expert em LGPD!

 Quer saber mais? Dá uma olhada no meu site: gustavorocha.com

 Quer bater um papo? Me manda um email: gustavo@gustavorocha.com

 Mais do tipo direto? Me chama no Whatsapp ou Telegram: (51) 98163.3333

 #Gestão #Tecnologia #InteligênciaArtificial #MarketingJurídico #Privacidade #LGPD

* Escrito por Gustavo Rocha e Chat GPT


Como citar e referenciar este artigo:
ROCHA, Gustavo. Como a inteligência artificial vê o marketing jurídico?. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2023. Disponível em: https://investidura.com.br/colunas/gestao-tecnologia-e-qualidade-para-o-direito/como-a-inteligencia-artificial-ve-o-marketing-juridico/ Acesso em: 26 mai. 2024
Sair da versão mobile