Política

Confirmando o Cenário Paulista

 

21 de outubro de 2009

 

O comentário que fiz anteriormente sobre um possível acordo entre o grupo de José Serra e a cúpula do PT na sucessão presidencial, mantida a fraca candidatura da ministra Dilma (O Brasil elegerá Nosferatu?), gerou-me intensa correspondência e algumas incompreensões. Eu me limitei a manter a linha de análise com base nos fatos exteriores que me chegam, pois é óbvio que não tenho acesso a informações privilegiadas. O comportamento das forças políticas que dominam o cenário nacional é tão transparente e previsível que o analista exotérico pode acertar sem dificuldade, se atentar para os detalhes do noticiário. Temo que eu esteja certo no que escrevi.

 

 Basta ver o que trouxe o Estadão de hoje, em matéria assinada por Marcelo de Moraes: “Dentro do Palácio do Planalto já existe uma certeza – o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) não disputará a corrida presidencial contra a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT). Oficialmente, Ciro manterá a candidatura à Presidência até os primeiros meses do próximo ano, mas seu destino eleitoral já está definido e será a disputa pelo governo de São Paulo, com o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT”. As fanfarronadas do político de Sobral sobre sua postulação à Presidência devem ser esquecidas e a sua candidatura ao governo do Estado de São Paulo deve ser tomadada como um fato político muito a sério.

 

[Como sempre, o jornal Estadão dá furo quando o assunto envolve as decisões estratégicas dentro do Palácio do Planalto. Quem será o informante? Será o mesmo que plantou as notícias desabonadoras sobre José Sarney? Penso que a fonte é a mesma.]

 

A matéria do Estadão informa acordo com o PMDB nacional em torno da candidatura do PT ao Planalto. Bem sabemos que essa é um formalidade enganosa, vez que o PMDB é um federação de caciques regionais, que não dão a mínima para ocordos firmados no plano nacional quando contrariam seus interesses diretos. Orestes Quércia em São Paulo já declarou que marchará com José Serra. Resta saber o que acontecerá com a candidatura de Ciro Gomes. É possível que tenhamos, nas próximas eleições, os chamados “votos camarão”, quando políticos e cabos eleitorias se esforçam para puxar votos para o corpo de sua chapa, mas não para a Presidência da República (cabeça de chapa), e vice-versa. Não é difícil imaginar um cenário em que o PMDB paulista venha a apoiar, simultaneamente, José Serra e Ciro Gomes. Tudo é possível.

 

O fato objetivo é que a confimação do nome da ministra Dilma leva-me a acreditar que o PT não entra seriamente para vencer o pleito majoritário federal, abrindo caminho para a candidatura favorita de José Serra. Inversamente, ao se unir em torno de Ciro Gomes, em São Paulo, demonstra que fará de tudo para levar o Palácio dos Bandeirantes, sua fraqueza estratégica histórica. justamente onde vemos o PSDB e seus aliados cometerem erros que, de tão primários, parecem ser propositais. Se o nome sagrado na convenção do PSDB e seus aliados não for o de Geraldo Alckmin praticamente sela-se o pacto de recíprocidade, confirmando o prognóstico. Dessa forma, as eleições não passarão de uma grande marmelada, uma enganação. Não haverá disputa, de fato.

 

 

* José Nivaldo Cordeiro, Executivo, nascido no Ceará. Reside atualmente em São Paulo. Declaradamente liberal, é um respeitado crítico das idéias coletivistas. É um dos mais relevantes articulistas nacionais do momento, escrevendo artigos diários para diversos jornais e sites nacionais. É Diretor da ANL – Associação Nacional de Livrarias.

Como citar e referenciar este artigo:
CORDEIRO, José Nivaldo. Confirmando o Cenário Paulista. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2009. Disponível em: https://investidura.com.br/artigos/politica/confirmando-o-cenario-paulista/ Acesso em: 24 jul. 2024