Direito Internacional

Discurso de posse do presidente francês Nicolas Sarkozy

Discurso de posse do presidente francês Nicolas Sarkozy

 

 

Ricardo Bergamini*

 

 

Vou reabilitar o trabalho!

 

Derrotamos a frivolidade e a hipocrisia dos intelectuais progressistas. O pensamento único é daquele que sabe tudo e que condena a política enquanto a mesma é praticada.

 

Não vamos permitir a mercantilização de um mundo onde não há lugar para a cultura: desde 1968 não se podia falar da moral. Haviam-nos imposto o relativismo.

 

A idéia de que tudo é igual, o verdadeiro e o falso, o belo e o feio, que o aluno vale tanto quanto o mestre, que não se pode dar notas para não traumatizar o mau estudante.

 

Fizeram-nos crer que a vítima conta menos que o delinqüente. Que a autoridade estava morta, que as boas maneiras haviam terminado. Que não havia nada sagrado, nada admirável.

 

Era o slogan de maio de 68 nas paredes de Sorbone: ‘Viver sem obrigações e gozar sem trabalhar’.

 

Quiseram terminar com a escola de excelência e do civismo. Assassinaram os escrúpulos e a ética.

 

Uma esquerda hipócrita que permitia indenizações milionárias aos grandes executivos e o triunfo do predador sobre o empreendedor.

 

Esta esquerda está na política, nos meios de comunicação, na economia.

 

Ela tomou o gosto do poder.

 

A crise da cultura do trabalho é uma crise moral. Vou reabilitar o trabalho.

 

Deixaram sem poder as forças da ordem e criaram uma farsa: ‘abriu-se uma fossa entre a polícia e a juventude’. Os vândalos são bons e a polícia é má. Como se a sociedade fosse sempre culpada e o delinqüente, inocente.

 

Defendem os serviços públicos, mas jamais usam o transporte coletivo.  Amam tanto a escola pública, e seus filhos estudam em colégios privados. Dizem adorar a periferia e jamais vivem nela.

 

Assinam petições quando se expulsa um invasor de moradia, mas não aceitam que o mesmo se instale em sua casa.  Essa esquerda que desde maio de 1968 renunciou o mérito e o esforço, que atiça o ódio contra a família, contra a sociedade e contra a República.

Isto não pode ser perpetuado num país como a França e por isso estou aqui. Não podemos inventar impostos para estimular aquele que cobra do Estado sem trabalhar.  Quero criar uma cidadania de deveres. 

 

* Economista, formado em 1974 pela Faculdade Candido Mendes no Rio de Janeiro, com cursos de extensão em Engenharia Econômica pela UFRJ, no período de 1974/1976, e MBA Executivo em Finanças pelo IBMEC/RJ, no período de1988/1989. Membro da área internacional do Lloyds Bank (Rio de Janeiro e Citibank (Nova York e Rio de Janeiro). Exerceu diversos cargos executivos, na área financeira em empresas como Cosigua – Nuclebrás – Multifrabril – IESA Desde de 1996 reside em Florianópolis onde atua como consultor de empresas e palestrante, assessorando empresas da região sul..  Site: http://paginas.terra.com.br/noticias/ricardobergamini

 

 

Compare preços de Dicionários Jurídicos, Manuais de Direito e Livros de Direito.

Como citar e referenciar este artigo:
BERGAMINI, Ricardo. Discurso de posse do presidente francês Nicolas Sarkozy. Florianópolis: Portal Jurídico Investidura, 2008. Disponível em: https://investidura.com.br/artigos/direito-internacional/discurso-de-posse-do-presidente-frances-nicolas-sarkozy/ Acesso em: 18 abr. 2024