Projeto propõe identificação de RH e tipo sanguíneo de recém-nascidos | Portal Jurídico Investidura - Direito

Projeto propõe identificação de RH e tipo sanguíneo de recém-nascidos

As maternidades públicas, privadas e estabelecimentos hospitalares devem incluir a identificação do fator RH e do grupo sanguíneo do recém-nascido por ocasião do teste do pezinho (teste de Guthrie). A medida está prevista no Projeto de Lei 302/2012, de autoria do deputado Padre Pedro Baldissera (PT), em trâmite na Assembleia Legislativa.
Conforme o projeto, o recém-nascido será submetido, logo após ao teste do pezinho, à retirada de sangue, na ponta do dedo anular, para o reconhecimento do fator RH e grupo sanguíneo. Padre Pedro justifica que o teste, apelidado de ?teste do dedinho?, possibilitará que o pediatra tenha um histórico mais completo do bebê, o que será de grande importância durante o desenvolvimento da criança. ?A identificação do bebê através do tipo sanguíneo na própria sala de parto evitará, até mesmo, possíveis trocas na maternidade?, argumenta.
O parlamentar destaca ainda que muitas crianças crescem e tornam-se adultas sem saber qual o seu tipo sanguíneo, fato que pode até trazer consequências danosas em casos de acidentes graves e tratamentos de urgência que exijam transfusão de sangue.

O teste do pezinho

O teste de Guthrie é realizado em todos os recém-nascidos no território nacional desde 1992 e consiste em uma picada no calcanhar do bebê para coleta de sangue, entre três e sete dias de vida. Esse exame possibilita o diagnóstico precoce de doenças metabólicas, genéticas e ou infecciosas. (Lisandrea Costa)



Fonte: AL/SC
Seção: Notícias
Categoria: MP/SC

Como referenciar este conteúdo

NOTíCIAS,. Projeto propõe identificação de RH e tipo sanguíneo de recém-nascidos. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 03 Out. 2012. Disponível em: investidura.com.br/noticias/343-mpsc/273724-projeto-propoe-identificacao-de-rh-e-tipo-sanguineo-de-recem-nascidos. Acesso em: 02 Mar. 2021

 

Receba nossos e-mails e infoprodutos jurídicos

 

 

ENVIE SEU ARTIGO