MPF/MG: SUS terá de fornecer remédio à base de Canabidiol para paciente de 9 anos

O Ministério Público Federal em Minas Gerais (MPF/MG), em conjunto com o MP Estadual, obteve liminar que obriga gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) - União, Estado e o Município de Tupaciguara - a fornecer medicamento à base de Canabidiol para um paciente de nove anos residente naquela cidade, no Triângulo Mineiro.

Segundo a ação, G.F.L. foi diagnosticado com quadro grave de epilepsia. Ele apresenta até 40 crises epilépticas por dia, chegando a se machucar durante as convulsões. O médico que acompanha o paciente assegurou que as suas epilepsias refratárias podem evoluir, com piora significativa do quadro clínico de base e aumento progressivo do risco de morte.

A mãe de G.F.L. ainda relatou que a criança, em razão dos anticonvulsivos, hormônios e outros medicamentos de uso constante, apresenta várias intercorrências em sua saúde, com altas taxas de enzimas hepáticas, sonolência excessiva e obesidade infantil preocupante.

Após várias tentativas, sem sucesso, de tratamentos clínicos e ambulatoriais, foi prescrita a G.F.L. medicação à base de Canabidiol. Os resultados foram significativos, com melhora das crises epilépticas, evolução na aprendizagem e redução da sonolência.

O problema é que a família do menor não possui recursos financeiros para adquirir o medicamento. Cada seringa de 10 mg custa cerca de R$ 1.500, sendo necessárias 10 seringas por mês, ao custo mensal, portanto, de 15 mil reais, quantia de que a família não dispõe. Os medicamentos ministrados até o momento foram adquiridos por meio de uma rifa entre amigos.

O MPF e o MP-MG sustentam que o Estado tem o dever de fornecer o medicamento ao paciente, em cumprimento a quatro artigos da Constituição Federal: artigos 5º (garantia do direito à vida); 23, II (é competência comum da União, dos Estados e dos Municípios cuidar da saúde e da assistência pública); 196 (a saúde é direito de todos e dever do Estado) e 198 (ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada, constituindo um sistema único).

Ao conceder a liminar, o juízo da 1ª Vara Federal de Uberlândia concordou com os argumentos expendidos pelos autores da ação. Segundo o magistrado, União, Estado e o Município de Tupaciguara são "solidariamente responsáveis pela efetivação do direito à saúde, incluindo-se a obrigação de fornecimento gratuito de medicamentos e tratamentos inacessíveis a portadores de moléstias graves".

No curso do processo, a União chegou a apresentar estudos científicos demonstrando que o uso do medicamento à base de Canabidiol não produz efeitos significativos e consistentes no combate à epilepsia, mas, para o juízo federal, o remédio está sendo eficaz no tratamento de G.F.L., minorando as consequências danosas de sua enfermidade.

Assim, "cuida-se, portanto, de garantir ao menor o mínimo existencial, isto é, condições de vida, por meio da disponibilização do medicamento pelo Poder Público", disse.

Foi dado prazo de 15 dias para que os réus providenciem o fornecimento do medicamento a G.F.L. pelo prazo ininterrupto de seis meses. Um mês antes do término desse prazo, os autores da ação deverão apresentar prova dos resultados obtidos com o uso do remédio e a necessidade de continuação do tratamento.
(ACP nº 9095-04.2015.4.01.3803)

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Minas Gerais
Tel.: (31) 2123.9008 / 9010
No twitter: mpf_mg



Fonte: MPF
 

Seção: Notícias
Categoria: MPF

Como referenciar este conteúdo

NOTíCIAS,. MPF/MG: SUS terá de fornecer remédio à base de Canabidiol para paciente de 9 anos. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 07 Out. 2015. Disponível em: mail.investidura.com.br/noticias/228-mpf/333047-mpf-mg:-sus-tera-de-fornecer-remedio-a-base-de-canabidiol-para-paciente-de-9-anos. Acesso em: 26 Ago. 2019

Receba nossos e-mails e infoprodutos jurídicos

 

 

ENVIE SEU ARTIGO