Modelo de Planejamento de uma Palestra | Portal Jurídico Investidura - Direito

Modelo de Planejamento de uma Palestra


Elementos básicos:

Tipo de comunicação:        

Palestra 

(poderia ser aula, discurso, mesa redonda, debate, etc)

Recursos disponíveis:         

Áudio e slide

(poderia ser telão, gráficos, anotações,  etc.)

Público alvo:                      

Engenheiros e Advogados

(poderia ser para um alvo mais heterogêneo)

Grau de informalidade:       

Médio

(não é solene, mas não é totalmente informal - os contornos da linguagem, da gesticulação e do tom de voz, devem existir mas não podem ser exagerados)

Abertura - vocativo:

Senhoras... senhores, estudiosos do direito empresarial. Boa noite.  

(Em muitos casos é oportuno citar nomes de autoridades presentes ou homenageados.  Também pode ser oportuno agradecer a presença ou participação de pessoas ilustres).

Introdução:

O mundo moderno nos trouxe facilidade, conhecimento e conforto, porém, é também o portador de exigências mínimas para o nosso convívio político, social e humano.

O fato mais importante, e inegável, é que o relacionamento humano, nacional ou internacional, ficou especialmente dependente do conhecimento e perfeita interpretação das regras  vigentes.

Assim, nosso objetivo neste encontro é discorrer sobre os caminhos do direito, como regras sociais impositivas, e a necessidade de que cada cidadão possua um mínimo de conhecimento jurídico para sobreviver na selva de leis que nos cerca.

É possível ao cidadão comum entender as leis ?

É possível ao cidadão comum avaliar a validade das normas ?

É possível ao cidadão se proteger dos abusos emanados dos poderosos ?

Quando, como e onde começar a jornada pelo conhecimento jurídico cidadão ?

Sem qualquer dúvida é possível sim.  E é sobre esta possibilidade que vamos falar nesta noite.

(Muitos são os meios de despertar o público e facilitar a introdução no tema eleito, contudo, há que se fazer comunicar. Muitas das vezes  na introdução há espaço para elevar a voz e utilizar  gestos mais agressivos)  

Chaves de transposição de fase:

A resposta é sim, sim e sim. E é sobre todas estas implicações  que vamos falar nesta noite...

Bem, este é o nosso dilema, portanto, vamos a ele...

Bem,  agora que todos conhecem as bases da nossa pretensão na apresentação de hoje, podemos enfrentar o cerne da nossa tese...

Mas, tudo isto é pouco significativo quando estamos frente a frente com a realidade...

Assim, devemos analisar o comportamento de cada uma destas situações...

Mas algumas autoridades, respeitáveis autoridades, pensam diferente, e chegam a publicar dados convincentes ...

A nossa tese é diferente, não raro, agride a sabedoria dominante, mas, pouco a pouco, vai se consolidando...

(As frases chaves para transposição de fases são úteis e eliminam o stress natural que o orador adquire quando procura um meio de avançar na palestra e não encontra um caminho)

Conteúdo:

Tema:                                         

(anotar os tópicos do tema a ser discorrido)

Problema:                                   

(anotar os problemas ou contradições)

Caso para relaxamento da platéia:

(discorrer sobre um caso etc)

Tema:

(Continuar com o Tema)

Relaxamento da Platéia                                                   

(Comentar um assunto paralelo)

Tema:

(Continuar com o Tema)         

Tema:

(Continuar com o Tema)

Relaxamento da platéia:

(discorrer sobre um caso etc)  

Tema:

(Continuar com o Tema)         

Comparações:                             

(Anotar comparações ou teses diferentes)

Conclusão:

Portanto está pacificamente comprovado que o sistema de transporte aéreo é altamente lucrativo;  que é um serviço prestado sob concessão federal; que se utiliza dos aeroportos que são de propriedade da união, portanto públicos, construídos com os recursos dos impostos pagos por todos, e mais, que o combustível  utilizado é subvencionado, ou seja, os consumidores de outros tipo de combustíveis é que suportam o diferencial do custo; que a tarifa nacional é uma das mais elevadas do mundo, não obstante a mão de obra ser extraordinariamente barata,  e que o único  instrumento de defesa do consumidor é a existência de uma mínima concorrência entre as várias linhas em funcionamento.  

Portanto,  as linhas aéreas são uma categoria econômica da iniciativa privada que não podem obter a benção governamental para realizarem fusões entre si, porque o resultado, óbvio, é a  redução do já fraco índice de concorrência, viabilizando o domínio do mercado em detrimento do consumidor e do contribuinte.

Neste sentido, depois de analisados e sopesados os reflexos de cada uma das situações possíveis, é que nos sentimos autorizados  a defender a tese de não permissão de  fusão das linhas aéreas nacionais.

Afinal, como visto, estamos em sintonia com o direito, com o espírito de justiça e mais,  muito mais, estamos atendendo o princípio de moralidade insculpido no artigo 37 da Constituição Federal.

Encerramento:

Assim, esperamos haver contribuído para que esta matéria de Direito Industrial possa ter despertado o interesse e a dedicação necessários à continuidade dos estudos neste tema e colocamo-nos à disposição dos senhores, para eventuais questionamentos.  

Perguntas  .......

Respostas  .......

Boa noite a todos.

Com estas considerações eu os convido a meditar sobre o assunto, formar sua opinião  de forma desapaixonada mas responsável,  e, antes do desfecho desta agressão aos consumidores, contribuintes e cidadãos, possam questionar, manifestar e exigir uma postura  madura, responsável  e  honesta dos nossos governantes.

Boa noite a todos.

(O importante é ter na mente algumas frases de encerramento, o conteúdo é sempre variável e deve ser preparado de acordo com o tipo e a especificidade da matéria enfocada).

Reprodução autorizada. Fonte: www.jurisway.org.br


Como referenciar este conteúdo

INVESTIDURA,. Modelo de Planejamento de uma Palestra. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 04 Mar. 2012. Disponível em: investidura.com.br/modelos/documentos/curriculo/228160-modelo-de-planejamento-de-uma-palestra. Acesso em: 13 Nov. 2019

 

Receba nossos e-mails e infoprodutos jurídicos

 

 

ENVIE SEU ARTIGO