A Ética "indigesta" durante o lanche... | Portal Jurídico Investidura - Direito

A Ética "indigesta" durante o lanche...

Não é fácil uma vida a dois... Muita coisa é envolvida, desde a personalidade, o temperamento, aos gostos. No começo tudo é festa, interessante e praticamente não há conflito a dois. Com o tempo, aquelas máscaras vão caindo, os defeitos começam a aparecer e as eventuais discussões tomam conta e isso todos nós sabemos.

O propósito desse texto é abordar um assunto ridículo, mas que, vez por outra, rende boas puxadas de cabelo e arranhões nos casais por aí afora... Mas, e o que seria? Caso de polícia? Não, vamos com calma... Seria aquela hora, sabe, que o casal vai passear no shopping, por exemplo, e chega o momento "descontraído" do lanche. Seria, então, algum flerte, algum olhar indiscreto? Nada disso, trata-se pura e simplesmente do lanche, não importa se no Mac Donalds, no Burguer King, no Bobs e cia... O problema já começa pela escolha: Um quer lanchar em um local e a outra em outro...

Depois de uma briguinha aqui e outra acolá, acabam os dois decidindo. Mas acontece que amada pode detestar peixe e o camarada ser aficionado, e aí? Algumas soluções são possíveis: os dois saem perdendo e voltam para a casa famintos; pode ainda um deles sair perdendo e ser obrigado(a) a digerir algo intragável, em no nome do amor, suportando tudo calado(a); ou ainda, haver uma solução racional, embora cara, em que cada um lancha o seu prato favorito, sem haver a preocupação de agradar o outro...

Por trás dessa tolice, vemos que há questões de valores e de filosofia de vida: Se a pessoa prefere o autoflagelo, ou se prefere ser egoísta, por dentre outras hipóteses. Todas essas questões, se observamos bem, tem conotações de cunho ético. Se uma briguinha inocente causa um reboliço, imaginem isso em uma escala maior?

Falamos muito de Ética, mas, e o que seria Ética, por simples palavras? Ética não é um código, nem um bicho papão, nem um apelo ao falso moralismo... Uma pessoa pode ser moralista e ser antiética, ou ainda, andar nos estreitos trilho da Ética e ser imoral... Valha, e o que seria então? Não existe nada de complicado, podem crer, porque a Ética é senão a busca pela felicidade individual, mas sem ferir o próximo. Uma pessoa que se mutila, que faz auto-sacrifício em excesso, está sendo antiética, da mesma forma que uma pessoa que apenas pensa na própria barriga...

Sempre professaram os sábios que a melhor virtude seria o caminho do meio, com equilíbrio, temperança e bom senso. Se houver um conflito de escolhas, quer seja na hora do lanche, quer seja, em outro momento, ouçam a voz interior, mas procurem uma conciliação com a outra pessoa. Muitas vezes é difícil, entretanto, sempre haverá uma saída. Basta pensarem com cuidado...

Aqueles que se aproveitam às custas dos outros, certamente estão sendo antiéticos, da mesma forma daqueles viciados em abnegação. Isso é uma chaga social que poderia ser resolvida sem muito rodeios... A sociedade vive uma crise ética, não por ignorância, mas por complicar coisas simples, a começar pela Ética. Não existe código de Ética, embora muitos teimem em forçá-la por meio de leis e decretos. Como a Ética é a busca pela felicidade, muitos esquecem de serem felizes e por isso complicam tais coisas... Como as pessoas são infelizes, muitas vezes se comprazem com o insucesso do próximo e esquecem da própria vida.

O Brasil tem fome de Ética, dizia Betinho, e, por consequência, passa fome pela falta dela... O que devemos é lembrar da lição do célebre sociólogo e digerir coisas que não são tão assustadoras assim...

* Ricardo Régis Oliveira Veras, Bacharel em Direito pela Universidade de Fortaleza – Ceará, Pós-graduado pela Faculdade Ateneu,

Advogado OAB/CE 16895


Como referenciar este conteúdo

VERAS, Ricardo Régis Oliveira. A Ética "indigesta" durante o lanche.... Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 26 Dez. 2012. Disponível em: investidura.com.br/biblioteca-juridica/artigos/filosofia-do-direito/283509-a-etica-qindigestaq-durante-o-lanche. Acesso em: 30 Set. 2020

 

Receba nossos e-mails e infoprodutos jurídicos

 

 

ENVIE SEU ARTIGO